Revista eletrônica de investigações filosófica, científica e tecnológica

ISSN 2358-7482

 

Dezembro/2020, Ano VI, Volume VI, Número XX

 

O Contexto Brasileiro da Educação Ambiental no Ensino sobre o Meio Ambiente: análise em uma escola pública de Mandirituba/PR

          

           Publicado 28/12/2020

 

Andrews Zapechouka

Docente da Secretaria Estadual de Educação do Paraná

 

Frederico Fonseca da Silva

Instituto Federal do Paraná

Resumo

A Educação Ambiental (EA) é uma importante ferramenta para o ensino no Brasil, tendo como objetivo formar cidadãos capazes de aliar práticas cotidianas com a preservação ambiental. O presente artigo objetiva de forma geral apresentar o contexto brasileiro no ensino sobre o meio ambiente e analisar se esse contexto está sendo desenvolvido em uma escola pública de Mandirituba, Paraná. A metodologia para a formulação do trabalho foi bibliográfica exploratória por meio de leituras de livros e artigos de autores que tratam dos assuntos abordados. Foi realizada uma pesquisa com alunos de 1º ano do Ensino Médio de uma escola pública na cidade de Mandirituba, estado do Paraná por meio de questionários online. Este tipo de estudo é importante para quem é docente ou será um professor, pois, é fundamental que os atuais e futuros educadores saibam trabalhar a EA ou articulá-la em suas disciplinas de forma interdisciplinar. Os principais resultados obtidos foram que a EA surgiu a partiu de movimentos ambientalistas a partir dos problemas ambientais surgidos, principalmente nos séculos XIX e XX; a EA nas instituições de ensino precisa ser contextualizada fazendo parte da realidade dos alunos e rompendo com os paradigmas tradicionais e, finalmente, no Brasil algumas culturas legais como a agricultura e a silvicultura muitas vezes contribuem com as problemáticas ambientais, pois, se utilizam de métodos prejudiciais e essas questões precisam ser trabalhadas nas instituições de ensino fora do modelo reducionista proposto no ensino ambiental. Na pesquisa com questionários o principal resultado foi que os alunos ainda possuem uma visão reduzida sobre o que é meio ambiente e isso é está diretamente ligado ao processo de ensino por qual eles passaram. Portanto, é necessário uma EA de forma mais holística e que dê uma profundidade maior em relação às temáticas e promova a sensibilização dos estudantes.

Palavras-chave: Contextualização. Brasil. Problemáticas Ambientais. Sensibilização.

Abstract

Environmental Education (EE) is an important tool for teaching in Brazil, aiming to train citizens capable of combining daily practices with environmental preservation. This article aims in general to present the Brazilian context in teaching about the environment and analyze if this context is being developed in a public school in Mandirituba, Paraná. The methodology for the formulation of the work was exploratory bibliographic through readings of books and articles by authors who deal with the subjects addressed with it, a research was joined with students of 1st year of High School in a public school in the city of Mandirituba, state of Paraná through online questionnaires. This type of study is important for anyone who is a teacher or will be a teacher, because it is essential that current and future educators know how to work with EE or articulate it in their disciplines in an interdisciplinary way. The main results obtained were that EA emerged from environmental movements based on environmental problems that arose, mainly in the 19th and 20th centuries; EE in educational institutions needs to be contextualized as part of the students' reality and breaking with traditional paradigms and, finally, in Brazil, some legal cultures such as agriculture and forestry often contribute to environmental problems, because they use methods harmful and these issues need to be addressed in educational institutions outside the reductionist model proposed in environmental education. In the survey with questionnaires in a public school in the city of Mandirituba/PR the main result was that students still have a reduced view of what the environment is and this is directly linked to the process of teaching that they went through. Therefore, it is necessary to have an Environmental Education in a more holistic way that gives greater depth in relation to the themes and promotes the students' awareness.

Keywords: Contextualization. Brazil. Environmental Issues. Awareness.

 

Resumo

Media Edukado (EA) estas grava ilo por instruado en Brazilo, celanta trejni civitanojn kapablajn kombini ĉiutagajn praktikojn kun media konservado. Ĉi tiu artikolo celas ĝenerale prezenti la brazilan kuntekston en instruado pri la medio kaj analizi ĉu ĉi tiu kunteksto disvolviĝas en publika lernejo en Mandirituba, Paranao. La metodiko por formuli la verkon estis esplora bibliografia per legadoj de libroj kaj artikoloj de aŭtoroj traktantaj la traktitajn temojn. Enketo estis farita kun 1-jaraj gimnazianoj de publika lernejo en la urbo Mandirituba, ŝtato Paranao per interretaj enketiloj. Ĉi tiu speco de studo gravas por ĉiuj, kiuj estas instruisto aŭ estos instruisto, ĉar estas esence, ke nunaj kaj estontaj edukistoj sciu labori kun EE aŭ artikoli ĝin en siaj fakoj laŭ interfaka maniero. La ĉefaj rezultoj akiritaj estis, ke EA eliris el ekologiaj movadoj bazitaj sur mediaj problemoj, ĉefe en la XIX kaj XX jarcentoj; EE en edukaj institucioj devas esti kuntekstigita kiel parto de la realo de la studentoj kaj rompi kun tradiciaj paradigmoj kaj, fine, en Brazilo, iuj juraj kulturoj kiel agrikulturo kaj forstado ofte kontribuas al mediaj problemoj, ĉar ili uzas metodojn. malutilaj kaj ĉi tiuj aferoj devas esti traktataj en edukaj institucioj ekster la reduktisma modelo proponita en media edukado. En la enketo kun enketiloj la ĉefa rezulto estis, ke studentoj ankoraŭ havas reduktitan vidon pri tio, kio estas la medio kaj tio estas rekte ligita al la instrua procezo, kiun ili travivis. Sekve, necesas havi EE pli holisma maniero, kiu pli profunde rilatas al la temoj kaj antaŭenigas la konscion de la lernantoj.

Ŝlosilvortoj: Kuntekstigo. Brazilo. Ekologiaj aferoj. Konscio.

 

Biografia do autor

Andrews Zapechouka

Professor de Ciências e Biologia. Docente da Secretaria Estadual de Educação do Paraná. Mestrando em Educação Profissional e Tecnológica. IFPR - Instituto Federal do Paraná - campus Curitiba. E-mail: andrews1995andrews@gmail.com. ORCID 0000-0002-1130-0901. 

Frederico Fonseca da Silva

Engenheiro Agrônomo. Professor e Pesquisador do IFPR - Instituto Federal do Paraná, campus Curitiba. Doutor em Produção Vegetal (Irrigação e Meio Ambiente) pela UEM - Universidade Estadual de Maringá. E-mail: frederico.silva@ifpr.edu.br. ORCID 0000-0003-2817-6983. 

 

Referências

 

ARANA, A.R.A.; KLEBIS, A.B.S.O. A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO CONTEXTO ESCOLAR: UM ESTUDO EM PRESIDENTE EPITÁCIO-SP. XI Congresso Nacional de Educação-Educere: Curitiba: PUC-PR, 23-26 de setembro de 2013.

 

BRASIL. Lei nº 6938, de 31 de agosto de 1981. Brasília: Casa civil, 1981. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6938compilada.htm> acesso em 14 ago. 2020.

 

______ Constituição (1988). Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Capítulo I da Educação Ambiental. Brasília, 1999.

 

GRZEBIELUKA, D.; KUBIAK, I.; SCHILLER, A.M. Educação Ambiental: A importância deste debate na Educação Infantil. Revista Monografias Ambientais - REMOA - v.13, n.5, dez. 2014, p.3881-3906.

 

FRAGOSO, E.; NASCIMENTO, E.C.M. A Educação Ambiental no ensino e na prática da Escola Estadual Cândido Mariano – Aquidauana/MS. AMBIENTE & EDUCAÇÃO. Revista de Educação Ambiental, v. 23, n. 1, p. 161-184, 2018. Disponível em <https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/download/6988/5298> acesso em 31 de ago. 2020.

 

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. - 4. ed. - São Paulo: Atlas, 2002.

 

GUIMARÃES, M. A Dimensão Ambiental na Educação. Papirus Editora, 1995.

 

IEDI - INSTITUTO DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL. A indústria e o agronegócio brasileiro. Disponível em: <https://iedi.org.br/media/site/artigos/20180703a_industria_e_o_agronegocio_brasileiro.pdf> acesso em: 27.jul.2020.

 

JACOBI, P. Educação Ambiental, Cidadania e Sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, março/ 2003 Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 189-205, março/ 2003. Disponível em <https://www.scielo.br/pdf/cp/n118/16834.pdf> acesso em 31 ago. 2020.

 

KNECHTEL, M.R. Metodologia da pesquisa em educação: uma abordagem teórico-prática dialogada. Curitiba: Intersaberes, 2014.

 

LAKATOS, E.M.; MARCONI, M.A. Fundamentos da metodologia cientifica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

 

LEFF, E. A complexidade ambiental. São Paulo: Cortez, 2003.

 

LONDRES, F. Agrotóxicos no Brasil: um guia para ação em defesa da vida. – Rio de Janeiro: AS-PTA - Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa, 2011. 190 p.: il.; 23 cm.

 

MEDEIROS, A.B; MENDONÇA, M.J.S.L.; SOUSA, G.L.; OLIVEIRA, I.P. A importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, set. 2011, p. 1-17.

 

MINAYO, M.C.S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

 

OLIVEIRA, A.S.D. Resíduos culturais. Rio Grande: Edição Independente, 1999.

 

PAIÃO, O.S.; EBAID, A.A.W. A importância da educação ambiental na sociedade contemporânea. Colloquium Socialis: Presidente Prudente, v. 01, n. Especial, p.459-465 jan/abr 2017, p. 459-465.

 

SÁ, T.D.A.; KATO, O.R.; CARVALHO, C.J.R.; FIGUEIREDO, R.O. (2006-2007). Queimar ou não queimar? De como produzir na Amazônia sem queimar. Revista USP. P. 90-97.

 

SANTOS, F.A.S.; REIS, S.R.; TAVARES, J.A.V. Educação ambiental e sua importância para a sociedade em risco: reflexão no ensino formal. Anais Simpósio Educação e Comunicação, 12-17 de setembro 2017, p. 133-146.

 

SEGURA, D.S.B. Educação Ambiental na escola pública: da curiosidade ingênua à consciência crítica. São Paulo: Annablume: Fapesp, 2001. 214p.

 

______. Educação ambiental nos projetos transversais. IN: Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola / [Coordenação: Soraia Silva de Mello, Rachel Trajber]. – Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007.

 

SHIMIZU, J.Y. Pínus na silvicultura brasileira / Jarbas Yukio Shimizu, editor. - Colombo: Embrapa Florestas, 2008. 223 p.

 

RAMOS, M.; MAGRO, T.C.; COUTO, H.T.Z.; CASTRO, T.N. Dispersão e impacto de Pinus elliottii Engelm. var. elliottii em área ripária na Floresta Nacional de Capão Bonito-SP. Ciência Florestal: Santa Maria, v. 29, n. 1, p. 75-85, jan./mar., 2019.

 

UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Década da Educação das Nações Unidas para um Desenvolvimento Sustentável, 2005-2014: documento final do esquema internacional de implementação, Brasília, Brasil, 2005. 120 p.

 

VITULE, J.R.S.; PRODOCIMO, V. Introdução de espécies não nativas e invasões biológicas. Curitiba, PR: UFPR. 2012.

GPFCT - IFPR

Grupo de Pesquisas Filosofia, Ciência e Tecnologias

INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ - IFPR

Instituto Federal do Paraná Av. Cívica, 475 - Centro Cívico - Assis Chateaubriand - PR/ BR - CEP.: 85.935-000


​Telefone : 44-98813-1127

Email : jose.provetti@ifpr.edu.br

FIQUE POR DENTRO

Inscrições abertas:

Grupo de estudos filosóficos

IF-Sophia - Assis Chateaubriand

 

 

EVENTOS

 

IF-Sophia - Assis Chateaubriand


© 2014 Grupo de Pesquisas Filosofia, Ciência e Tecnologias - IFPR.

Orgulhosamente criado por Wix.com

  • unnamed
  • YouTube Social  Icon
  • s-facebook
  • Twitter Metallic
  • s-linkedin